Filmes da Infância, parte 2

1)      Matilda (1996)

 

“Hum hum humm, oh oh oh” Sabe a música “ Little Bitty Pretty One” do Thurston Harris? Gostosa demais não é? Pois eu não consigo ouvi-la sem lembrar da cena em que Matilda dança com os objetos, enquanto as cartas a rodeiam. Pois já se faz 16 anos que o filme foi gravado e ele ainda continua bastante atual.  “Matilda” na verdade é um livro, escrito por Roald Dahl, ilustrado por Quentin Blake e posteriormente adaptado ao cinema por Danny DeVito.

Conta a história de uma garotinha esperta e muito inteligente (ávida por conhecimento) que tem pais sem um pingo de paciência com crianças. Eles a mandam para uma escola que é dirigida pela cruel Agatha Trunchbull. A presença da professora Srta. Jennifer Honey faz com que a vida das crianças naquela escola fique mais ‘doce. A professora Honey logo percebe que há algo diferente com a garotinha e faz de tudo para ajuda-la. Entre travessuras e momentos divertidíssimos, a pequena descobre que possui poderes mágicos e decide usa-los para combater a monstruosa diretora.

 

O filme fez parte da minha infância e com certeza da de muitos outros. É até difícil acreditar que aquela menininha cresceu (aliás, que nós crescemos). Há uma cena que me encanta: a do bolo. Enquanto os meninos se levantavam da cadeira, torcendo para que o aluno gordinho, que roubou a torta da diretora, comesse todos os outros bolos que ela mandou preparar (e o obrigou a comer), eu torcia junto (acho que todos torciam não é?) e ainda ficava imaginando: será que eu daria conta de comer todo aquele bolo?Pois esse é um daqueles filmes que eu chamo de: “filme delicinha”, que dá vontade de assistir junto a família, de passar para os filhos e para os netos.

Curiosidades:

  • Richard Donner esteve cotado para assumir a direção
  • Mariska Hargitay recebeu uma proposta para interpretar a srta. Honey, mas a recusou.
  • Suzie Wilson, a mãe da protagonista Mara Wilson, faleceu durante as filmagens devido a um câncer de mama. Após os créditos finais, pode ser vista uma dedicatória a ela.
  • Kylie Tyndall e Keaton Tyndall tinham sido escalados para interpretar Matilda ainda jovem, mas foram substituídos de última hora devido a uma febre alta que ambos tiveram.
  • A foto do pai da srta. Honey é na verdade Roald Dahl, criador do livro no qual Matildafoi baseado.

A ultima participação no cinema realizada por Mara Wilson foi no filme “Cinderella” em 2005. Em 2011 foi indicada ao Young Artist Awards como melhor atriz pelo filme Thomas e a ferrovia mágica.

2)      Abracadabra (1993)

Foi um dos únicos filmes em que achei a Sarah Jéssica Parker realmente sexy (o outro foi em “O clube das desquitadas”).E foi nesse também que me apaixonei perdidamente por Bette Midler.  Abracadabra é um filme de fantasia que conta uma história perfeita para as crianças que gostam de mistério: Na noite do Dia das Bruxas, Max, Alisson e Dani resolvem invadir a antiga casa das bruxas de Salem (as irmãs: Winifred “Winnie”, Mary e Sarah Sanderson) para acender a chama da vela negra e sem querer, acabam fazendo com que as bruxas voltem da morte.

Com uma ótima trilha sonora e um cuidado de acabamento impecável, a Disney realizou mais uma vez, um filme encantador e bem humorado. Aquele olho se remexendo no livro era o que eu mais gostava. “Que livro sacana! Avisou as bruxas onde os meninos estavam”, sempre pensava. O filme é todo encantador, mas as três atrizes que fazem as bruxas possuem uma essência tão legal!… Elas ‘deram certo, entende?  E o filme nos conquista pelas pequenas coisinhas: Quando voltam a vida, as bruxas precisam se adaptar com o novo ambiente: a cena da Winnie pulando no asfalto (“lama preta”), ou as bruxas andando no ônibus pela primeira vez, a música viciante do baile: “I put a spell on you” e quando elas encontram “O Mestre” então? São todos detalhes fundamentais.

Curiosidades:

  • A personagem Mary Sanderson foi oferecida a Rosie O’Donnell, que não a aceitou por não querer interpretar uma “bruxa assustadora”.
  • O personagem Max Dennison foi oferecido a Leonardo DiCaprio, que o recusou para atuar em  Gilbert Grape – Aprendiz de Sonhador(1993).
  • O orçamento de Abracadabra foi de US$ 28 milhões.
  • A canção “Almost Unreal”, do Roxette, inicialmente faria parte da trilha sonora de
    Abracadabra, mas foi descartada. A música integrou a trilha sonora de Super Mario Bros, lançado no mesmo ano (1993)

Vinessa Shaw: Sua última participação no cinema foi em 2008 no filme: “Amantes”.  Também atuou em “Melinda e Melinda” ( 2004) e “40 Dias e 40 Noites” (2002)

Tora Birch: Sua última participação no cinema foi em 2010: “A história de Bonnie e Clyde”, como Blanche Barrow. Recebeu em 2002 o Globo de Ouro como Melhor Atriz (Comédia/Musical) em Mundo Cão.

3)      Corina, uma babá perfeita (1994)

Toda vez que o sinal está vermelho e demora muito para abrir, não consigo me segurar e assopro, no meio da rua. É claro, a culpa é da Corina. As influências desse filme foram tantas, que cheguei a implorar que a minha mãe comprasse uma tartaruguinha para mim como bichinho de estimação (o que não aconteceu). A história é muito simples: A mulher do compositor de jingles Manny Singer morre e ele precisa de uma babá para cuidar da sua filhinha de sete anos: Molly.  Manny entrevista diversas babás, até que conhece Corina. A babá ganha a confiança da garota, que se sente culpada pela morte da mãe e os três acabam criando uma relação paralela de afeto e carinho.

Molly acaba se deparando com dois mundos: o dos brancos e o dos negros. São tantas cenas gostosas que não dá para eleger só uma. Quando Molly falta à aula para ajudar a Corina arrumar a casa de uma das suas patroas, ao som de um jazz contagiante, eu pensava: “eu quero uma babá assim”.  Por muito tempo fiquei cogitando que gosto eu tinha: café com leite? (pensava com meus botões), nunca descobri. O tempo foi passando e fiz questão de ter esse filme em DVD. Minha prima aprendeu a gostar dele tanto como eu: às vezes pedia: “Vamos ver Corina!” e víamos, duas, três vezes.

E as cenas são delicadas, sensacionais. Ao som de “This little light of mine” (igualmente contagiante) reconheci em Whoopi Goldberg uma das melhores atrizes e de interpretações soberbas (quando se trata de atuações dela, para mim, Corina só perde para “Ghost”).

Curiosidades:

  • Duas cenas do trailer de Corina, Uma Babá Perfeita não aparecem na versão final do filme.
  • Último filme do ator Don Ameche, que faleceu pouco depois da conclusão das filmagens.

  • E como está a Molly hoje? Tina Majorino marcou a sua volta ao cinema em 2004 com o filme: “Napoleon Dynamite”. Formou uma banda de rock com o irmão Kevin chamada: “The AM Project” e sua última participação na TV foi em “Big Love” como Heather Tuttle.

 

4)      Os Fantasmas se divertem (1988)

Adoro a Geena Davis, desde que vi “Thelma e Louise” (um dos meus filmes preferidos e provavelmente um ótimo próximo assunto para um post novo) me apaixonei por ela logo de cara.  O filme de Tim Burton é frenético. Deliciosamente obscuro e engraçado, o diretor utiliza (como em outros filmes que realizou), uma maquiagem peculiar.  Eu vi esse filme tantas vezes na Sessão da Tarde e depois em DVD, que eu poderia cita-lo de cor e salteado. Confesso que tinha um pouquinho de medo do Beetle Juice e jamais, falava o nome dele três vezes quando estava sozinha. Alias, tinha um nojo profundo por sua cara branca cercada por uma mancha escura e esverdeada que dava ainda mais a imagem de morto (na minha cabeça ele fedia, eu imaginava: deve ser insuportável ficar perto dele).

Depois que morrem em um acidente de carro, Bárbara e Adam ficam presos como fantasmas em sua casa no campo. A tranqüilidade deles é invadida por novos moradores (ricos e prepotentes) que compram a residência e passam a modificar tudo (instalam papéis de parede novos, trocam os móveis, etc). O casal que se muda para lá possui uma estranha filha: Lydia, que os enxerga e tenta ajuda-los a espantar seus pais. Seus planos nunca dão certo (Inclusive há uma cena divertidíssima do jantar ao som de Banana Boat Song, de Day-o) e por isso, recorrem ao estranhíssimo Beetle Juice.

Aliás, podem ficar assustados: só foi descobrir que Michael Keaton interpretou Beetle Juice hoje, enquanto pesquisava curiosidades sobre o filme, nunca tinha imaginado que aquele personagem louco era ele, o tempo todo.

Curiosidades:

  • O personagem Beetlejuice utiliza 8 diferentes roupas ao longo de todo o filme;
  • Originalmente Os Fantasmas Se Divertem seria um drama sobrenatural chamado “The Maitlands”, que abordaria as dificuldades de um casal em se adaptar com sua vida pós-morte. As cenas escritas no roteiro do filme e vários dos personagens eram bem mais mórbidos originalmente e foi apenas quando o ator Michael Keaton pediu a Tim Burton liberdade artística para desenvolver seu personagem que o diretor resolveu transformar o filme em uma comédia de humor negro
  • Inicialmente a Warner Bros. era contra a utilização do título “Beetlejuice” e chegou a sugerir um outro título: “Scared Sheetless”.- Consegui essas ótimas curiosidades sobre os filmes em um dos meus preferidos sites de cinema: http://www.adorocinema.com
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s