Filmes da Infância – Última parte

Fiquei muito feliz em ver as estatísticas do blog: a seqüências de publicações sobre os filmes da infância são os mais visitados. Ainda há muito do que se falar, muitos filmes brilhantes a serem relembrados. Fiz essa última lista (porque não adianta, nunca vou conseguir falar sobre todos), para terminar com chave de ouro essa recordação bacana sobre produções que fizeram parte do nosso imaginário infantil.

PARA SEMPRE CINDERELA

(Direção: Andy Tennant, 1997)

Lembro-me perfeitamente do dia que vi. Estávamos em sala de aula porque a professora de educação física tinha faltado. Era dia de piscina, estávamos furiosos porque só iríamos poder fazer natação na outra semana (eu adorava piscina!). Me neguei a ver o filme, abaixei a cabeça na mesa por alguns instantes mas não consegui ficar muito tempo com os olhos fechados: os sons me chamaram atenção. Aquela menina magrinha, adorada pelo pai que estava em busca de uma outra esposa fazia parte da história familiar que já ouvimos tantas vezes: “Cinderela”. Fora que tinha que tinha Anjélica Huston (a Morticia, a bruxa dos filmes que eu adorava!, vicei, vi inúmeras, inúmeras vezes)

 

Enfim, encontrei essa sinopse no Wikipedia e sinceramente não poderia fazer melhor, então copiei aqui no blog:

“A rainha da França solicita a presença dos Irmãos Grimm no palácio e lhes conta que gosta muito da obra deles, mas que ficou espantada em como foi contada a história de Gata Borralheira. Assim, decide lhes narrar o que realmente aconteceu na França do século XVI, quando Danielle de Barbarac (Drew Barrymore), sua tataravó, que ficou feliz aos oito anos quando seu pai (Jeroen Krabbé), um aristocrata viúvo, se casou novamente com uma baronesa (Anjelica Huston), pois assim ela ganhou uma mãe e duas irmãs no mesmo dia. Mas a sonhada felicidade durou muito pouco, pois logo depois seu amado pai morreu subitamente e a madrasta, que ela desejava que fosse a mãe que nunca tivera, passa a tratá-la como uma criada. Uma das filhas da baronesa é bondosa e não concorda com várias atitudes da mãe, mas por outro lado a outra filha é bastante egoísta e só pensa em se casar com o príncipe herdeiro (Dougray Scott). Para isto ela tem total apoio da mãe, que está disposta a conspirar, mentir e fazer o necessário para ver sua filha como a futura rainha. Mas ela precisa agir rápido, pois o príncipe conheceu Danielle e os dois estão apaixonados, com os sonhos de grandeza da baronesa podendo serem frustrados, pois sua enteada e o príncipe estão sendo aconselhados por ninguém menos que Leonardo da Vinci (Patrick Godfrey).”

 

  • Curiosidades: – O retrato de Danielle, pintado por Leonardo Da Vinci, é baseado em uma obra real do pintor chamada “La Scapigliata”.
  • Ao contrário do filme, o pintor Leonardo Da Vinci manteve a obra “Mona Lisa” durante toda a sua vida
  • Os sapatos de cristal foram feitos por Salvatore Ferragamo.

Então, vamos a lista:

 

CONVENÇÃO DAS BRUXAS

(Direção: Nicholas Roeg, 1990)

 

 *Segurem essa titiquinha!

Luke, um menino de 10 anos, é levado à Inglaterra por sua avó Helga apos a morte dos pais. Ao chegarem ao hotel, descobre que uma estranha convenção acontece por ali. Ele percebe que se trata de um encontro de bruxas, no qual está se traçando planos para transformar todas as crianças do mundo em ratos. O pequeno Luke acaba sendo descoberto em uma das reuniões, se torna vitima e acaba sendo transformado em rato junto mais um menino chamado Bruno Jenkins. Mesmo nessa condição, o garoto resolve impedir que este plano diabólico seja colocado em prática, fazendo com que o feitiço vire contra o feiticeiro.

 

ESQUECERAM DE MIM

(Direção: Chris Columbus, 1990)

Deixado acidentalmente para trás pela sua família nas férias de Natal, Kevin McCalister, de apenas oito anos, tornou-se de um momento para o outro o homem da casa! Sozinho, tímido e desajeitado, tenta resolver os seus problemas: vai às compras, cozinha, lava a roupa e até dá a volta aos ladrões que lhe entram em casa.

A PRINCESINHA

(Direção: Alfonso Cuarón, 1995)

*Filme lindo, mas que me remetia a uma melancolia sem tamanho.

1914, Simla, Índia. Sara Crewe (Lisel Matthews) é uma garota inglesa que vivia feliz, apesar de ser órfã de mãe. Quando eclodiu a 1ª Guerra Mundial seu pai, o capitão Crewe (Liam Cunningham), que pertencia ao exército inglês, tem que ir para a guerra. Porém antes vai a Nova York para deixar Sara num luxuoso internato para moças, no qual a mãe dela já estudara e que é administrado agora com mão de ferro pela Srta. Minchin (Eleanor Bron). A Srta. Minchin fica incomodada com a criatividade de Sara, que logo cativa a maioria das garotas. Um dia o Sr. Barrow (Vincent Schiavelli), o advogado do pai de Sara, chega no colégio para dizer que não haveriam mais pagamentos, pois o pai de Sara tinha morrido em combate. Minchin então faz Sara trabalhar como uma criada, para pagar sua estada ali.

 

 O Pestinha

(Direção: Dennis Dugan, 1990)

Ben Healy  é um simpático – mas batido –  yuppie que trabalha para seu pai, Big Ben,um autoritário e inescrupuloso negociante de materiais esportivos. Ben amaria ter um filho, mas sua esposa, a desagradável e histérica Flo, não pode concebê-lo. Ben vai até uma agência de adoção  pouco escrupulosa e fala de seu dilema com o agente Igor Peabody, que apresenta a Ben e a Flo um atraente menino de sete anos, Junior que na verdade não é uma criança modelo, pois é malévolo e incorrigível. Já adotado, Junior deixa um rastro de destruição no seu caminho e mostra um método efetivo, mas pouco ético, de ganhar na Liga Infantil. Ben está tendo dúvidas sérias sobre Junior quando o serial killer Martin Beck,  o famoso “Assassino da Gravata-Borboleta”, escapa da prisão e seqüestra Junior e sua nova mãe.

 

Elvira, A Rainha das Trevas

( Direção: James Signorelli, 1988)

 

Elvira (Cassandra Peterson) é a anfitriã de um programa de baixo orçamento sobre filmes de terror, mas tudo pode mudar quando ela herda da tia Morgana (Cassandra Peterson) uma velha mansão em Fallwell, Massachusetts, uma pequena cidade com apenas 1313 habitantes. Ela sonha em vender a casa e ir para Las Vegas, mas encontra dois sérios problemas: o primeiro são os adultos da cidade, que ficam espantados com o modo de como ela se veste e se comporta. Liderados por Chastity Pariah, eles fazem forte oposição à presença de Elvira na localidade. O segundo problema é Vincent Talbot, um tio de Elvira que não herdou nada, mas deseja obter de qualquer maneira um “livro de receitas” que também foi herdado por Elvira, que dará a ele imensos poderes para fazer diversos tipos de bruxarias. Apos o Grande sucesso do filme produziram 30 episodios da serie que levava o nome da protagonista “Elvira a Rainha das Trevas” que não obteva tanto sucesso como o Filme

 

 

 LUA DE CRISTAL

(Direção: Tizuka Yamazaki, 1990) 

Maria da Graça é uma jovem bonita e sonhadora que se muda para a cidade grande com a intenção de fazer aulas de canto. Lá, ela se hospeda na casa de sua tia Zuleika e seus primos Lindinha e Mauricinho, que vivem atormentando sua vida, fazendo-a trabalhar como uma escrava. Por ser um tanto ingênua e tímida, Maria vive caindo nas armações de Lindinha; enquanto é alvo das constantes cantadas de Mauricinho, ao que ela rejeita; tendo de suportar também os detestáveis amigos deste, enquanto não consegue se adaptar á cidade. Porém, em meio a tantos problemas, Maria conhece a pequena Duda, sua vizinha; e o desajeitado Bob, que se tornam seus amigos. Bob é a materialização do príncipe de Maria em seus sonhos, e este a ajudará a conseguir emprego em sua lanchonete e a transformará na estrela de um show.

* Wikipedia manda abraços

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s