Chastity Bites

Ontem eu estava atoa, doida pra assistir um filme e me deparei com “Chastity Bites”, uma produção que satiriza o gênero de terror e apresenta uma mistura de drama adolescente com uma pegada bem trash. Li algumas críticas no IMDB e nenhuma foi favorável o que me pareceu um pouco injusto porque a trama é muito divertida.

O filme brinca com uma figura histórica, a Condessa Elizabeth Bathory. No início de 1600, Bathory matou mais de 700 mulheres jovens e virgens pois acreditava que se ela se banhasse de sangue ficaria bonita para sempre. Com seus pactos e magias, Bathory conseguiu manter-se viva até os dias de hoje – mas como uma condição: precisa renovar seu ritual anualmente.

Em busca de novas vítimas, a Condessa se apresenta como uma educadora de abstinência sexual no colégio San Griento e convence a um grupo de jovens a se manterem virgens até se formarem. Bathory só tem um problema: a jovem Leah – uma estudante feminista e aspirante a jornalista – que desconfia do seu segredo.

home_bg_02Eu diria que Chastity Bites é uma releitura gótica de ‘Meninas Malvadas’. Há todo um clima de colegial e de disputa que exagera nos clichês e nas piadas carregadas de sexualidade.  Lotti Pharriss (roteirista e produtora do filme) e John V. Knowles (diretor) se apoiaram em séries de entretenimento que ganharam os cinemas americanos nos últimos tempos (como, por exemplo, Todo mundo em Pânico = que não trata do mesmo tema, mas possui uma estética bem semelhante).

Quando li a sinopse de Chastity Bites me lembrei logo da Madame Lalaurie (personagem da Kathy Bates em American Horror Story) que assim como no filme usa sangue de pessoas jovens e acredita ficará bela para o resto da vida. Aliás, Elizabeth Bathory realmente existiu, há muitos mistérios que rondam sua figura e vários relatos de tortura e sadismo, dizem até que a ‘Condessa Drácula’ era ocultista, alquimista e praticante de magia negra.

No mais, eu amei o fato da protagonista ser jornalista e feminista – me lembrou alguém, sabe? Também adorei a Jennifer Gimenez, meu Deus, cada vez que a mulher aparecia em cena eu começava a rir! Gimenez tem um jeito muito engraçado, exagerado *que lembra demais a Goldie Hawn.

One thought on “Chastity Bites

  1. Pingback: La Amora |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s