The Middle

Um dia desses, de madrugada, eu estava zapeando pela televisão e me deparei com “The Middle”, uma série cômica transmitida no Brasil pela Warner. Infelizmente eu peguei os últimos minutos do episódio, mas consegui decorar o nome do seriado. Desde então, comecei a assistir a primeira temporada online (pelo celular mesmo) e estou encantada: finalmente encontrei uma série inteligente, leve e muito engraçada.

The MiddleThe Middle retrata o cotidiano dos Heck, uma família de classe média composta por Frances e Michael (os pais) e por Sue, Brick e Axl (os três filhos do casal). Enquanto Frances e Michael se matam de trabalhar, as crianças sempre estão envolvidas em problemas escolares e sociais. Sue é uma garota de treze anos que, apesar de ter um otimismo incrível, nunca (ou quase nunca) consegue entrar em um clube na escola ou passar em testes.

Brick é um menininho inteligentíssimo, que adora ler, mas que tem um déficit de atenção alto e não consegue fazer amigos. Aliás, ele tem uma mania engraçadíssima de repetir as palavras ou se “auto-denunciar” quando está mentindo. Axl é o garoto problema da casa, ele possui dezesseis anos e está naquela fase terrível dos adolescentes: é respondão, preguiçoso, sarcástico e pouco atencioso com os irmãos. Diferente dos outros, Axl é popular, inclusive, possui uma bolsa escolar por participar do time do colégio.

ImagemO grande foco da série é a relação entre pais e filhos e isso se dá, especialmente, através do olhar da mãe que narra os acontecimentos em primeira pessoa. Frances é o ponto de partida do seriado pois é a única dos personagens que possui uma segunda voz na trama (justamente a narrativa).

Um dos grandes méritos de The Middle é que há uma contemporaneidade incrível representada ali. A velha estrutura familiar não é o mesma, a mulher deixou de ser “apenas” a dona de casa, ela também passou a trabalhar e ajudar nas despesas. A televisão e outras mídias (especialmente as redes sociais) vieram para alterar as relações interpessoais dentro e fora de casa. Em “The Middle”, Frances precisa conciliar os afazeres domésticos, as tarefas maternas e ainda trabalhar em uma concessionária cujo dono é racista, machista e mão de vaca. Portanto há uma sátira bem estruturada, afinal, os Hecks não saem de frente da TV e adoram comprar comida pronta.

Aliás, o nome do seriado não poderia ser mais inteligente. “The Middle” (“no meio” ou “no meio do nada”) refere-se ao fato da família viver em uma pequena cidade no interior de Indiana, cujo os costumes são tradicionais e típicos do interior. Existem outras interpretações: alguns acreditam que o nome se refere ao fato da família ser de classe média, outros acham que é uma homenagem a Indiana, que fica “no meio dos EUA”., outros acham que o termo se refere ao papel da mãe, que fica “no meio”, no centro das atenções. Essa é uma das sacadas mais geniais da série; os Heck moram em um lugar comum e não são “ninguém”, por isso mesmo, parecidíssimos com a maioria das pessoas: possuem problemas financeiros, questionamentos em relação ao trabalho, aos amigos e aos vizinhos (…).

[Outro dia fiz uma pesquisa no Google e vi uma discussão onde diziam que “The Middle” é melhor que Friends. Não, não chega a tanto vai… Mas é uma série imperdível, gostosa de assistir, a gente não se cansa (até porque, são só 25min!). As problemáticas retratadas são tão comuns que parece que estamos dentro da nossa casa, eles definitivamente poderiam ser um vizinho qualquer.]

The Midle

Brick e Sue, o grande charme de The Middle

Ao mesmo tempo em que possui um tom realístico, The Middle é uma série com situações engraçadas e surreais. Mesmo assim, sua estrutura não a torna menos convincente ou menos interessante, pelo contrário. Cada personagem possui uma característica que chama atenção; Frances é a típica mulher guerreira,  forte e batalhadora que trabalha muito e ainda cuida dos filhos. Michael é um homem honesto e sincero, aliás,  sincero demais. Axl é um adolescente irritante, cheio de manias, mas com um bom coração. No entanto Brick e Sue se sobressaem ao resto da família porque possuem não só características marcantes, mas completamente fora do comum.

Sue é uma otimista nata, enxerga coisas boas em todas as situações, bem diferente de Axl. Com uma ingenuidade ao extremo, a garotinha de 13 anos tem uma visão romântica e deturpada do mundo, o que a faz ser mais adorável ainda. O interessante é qua a atriz que a interpreta (a Eden Sher) tem 23 anos e é um mulherão.  Brick, por outro lado, é genial. O garoto não tem amigos (quer dizer, ele tem amigos imaginários né?) e lê o dia inteiro. Esperto nas respostas, sempre acha que está em desvantagem por ser o caçula. Na trama, Brick tem apenas 9 anos, na vida real, Atticus Shaffer (o ator) tem 13 anos e sofre de osteogénese imperfeita.

TOP 5: Os melhores momentos da 1ª Temporada.

#1 – Sue arruma um namorado. Michael não gosta da ideia até conhecer o garoto: Brad, um menino afeminado que, aparentemente, ainda não descobriu a própria homossexualidade.

Sue-the-middle-31285318-500-280#2 – Axl perde Brick em um labirinto de milho. Enquanto Brick faz um ‘tour pelo local, Axl se depara com um senhor completamente desconhecido que diz que também perdeu o seu irmão em um milharal em 1953 e que até hoje o escuta chamar. Axl fica desesperado e quando encontra o irmão confessa todo o amor que sente por ele.

#3 – No dia do Natal, os Heck perdem a apresentação de Frances no coral da igreja. Todos os membros da família voltam enfurecidos (uns com os outros) até que o carro derrapa duas vezes e eles, com medo de morrer, fazem as pazes.

#4 – Brick finalmente chama atenção no colégio por sua inteligência. Ele é convidado a participar de um concurso de soletração e concorre a um prêmio: viajar para Washington. O garoto é brilhante e se torna um dos finalistas, infelizmente, apesar de acertar a palavra, ele sussurra a última letra e é colocado de fora da disputa. Nesse mesmo dia, Michael e Frances esqueceram o aniversário da Sue, por isso, prometeram atender todas as suas vontades.

#5 – Uma das tias da Frances, a Eddie, está completamente confusa. No velório de um de seus irmãos, Eddie acha que é o seu aniversário e faz com que todos os presentes cantem parabéns para ela e, no final, apaga uma das velas que ficam ao lado do caixão. (falando assim parece não ter graça, mas a cena é hilária!).

TOP 5: Os melhores momentos da 2ª Temporada.

– Só pra constar, a 2ª temporada não é tão boa quanto a primeira.

# 1 – Sue finalmente ganha um prêmio de reconhecimento no colégio por ser a aluna mais assídua. No dia da formatura, exatamente no momento em que ele vai receber o prêmio, chamam o nome de outra garota. Ao invés de ficar chateada, Sue leva a história na esportiva (é o último episódio, e é muito fofo!)

the Middle# 2- Durante anos Brick ficou sem saber a história do seu nascimento, tanto seus pais quanto seus irmãos fizeram tudo para esconder. Após de muito insistir, Frankie finalmente conta o que aconteceu: Brick foi “trocado” na maternidade, e ficou um mês morando na casa dos vizinhos.

#3- Frankie não via a hora de assistir o casamento real, inclusive arrumou uma televisão maior e mais moderna. No dia, ela acaba pegando uma forte conjuntivite e não consegue abrir os olhos, Michael então descreve toda a cerimônia, detalhando inclusive o vestido da noiva.

#4 -Brick morre de medo de passar por uma ponte. Por isso, obriga o pai a desviar o caminho e sempre atrasa as viagens de carro.  Frankie e Michael fazem de tudo para convencê-lo de que nenhum acidente acontecerá, fazem de tudo mesmo!

#5-  Halloween: Sue, vestida de giz (HAHA!) finalmente ganha o primeiro beijo na boca. O problema é que o garoto é novo na escola e ela não faz ideia de quem se trata, não sabe seu nome nem em qual sala estuda.

TOP 5: Os melhores momentos da 3ª Temporada.

#1 – Frankie e Mike se esquecem do aniversário da Sue. Enquanto ela acredita que os pais estão lhe preparando uma festa surpresa, Frankie está muito ocupada com questões escolares de Brick. Finalmente, já de madrugada, Frankie se lembra do aniversário da filha e improvisa uma festa. Sue, que chegou a “achar” que eles tinham realmente se esquecido, fica muito, muito feliz. (Ela é uma FOFA!)

the middleiiii#2 – Ano Novo, todos os membros da família Heck estão, mais uma vez, reunidos em frente a TV. Com o intuito de distrair os filhos, Frankie sugere que cada um aceite um desafio. Axl precisa aprender a arrumar o próprio quarto, Sue precisa parar de se inscrever nos clubes, Frankie passar mais tempo com Brick, Brick não ler o tempo todo e Mike (o dele é o mais simples e o MAIS engraçado): tentar sorrir mais.

# 3 – Um dos meus favoritos: os Heck decidem ir a missa em uma outra igreja e lá eles se estranham  a forma em que a missa é ministrada, as pessoas que estão rezando podem se manifestar, gritar e além disso, o coral é muito animado. Brick adora a ideia, finalmente ele pode conversar com um pastor que esclarece todas as suas dúvidas em relação a bíblia.

# 4 – Axl está muito divertido nessa temporada, finalmente ele deixou de ser o “chato” da série, para ser o “chato legal”. No primeiro episódio, Frankie e Mike levam os meninos para acampar, mas Axl vai sem os sapatos. Quando se depara com o chão, cheio de pedrinhas, ele pega duas caixas de cereal, faz um buraco em cada uma delas e as usa como sapato.

# 5 – Os Heck vão passar o Dia de Ação de Graças na casa da mãe da Frankie, mas a irmã dela chegou primeiro e ainda por cima, pegou o melhor quarto. Mike faz de tudo para fugir do pai de Frankie, que não mede esforços para agradá-lo e o segue por toda a casa. Enquanto a irmã da Frankie insiste que Brick é um “menino especial”, Frankie tenta fazer com que o seu caçula brinque com sua priminha, Lucy. O clima esquenta na casa, Frankie não aguenta as acusações da irmã e as duas começam a brigar (de corpo a corpo) na frente de todo mundo.

Sue HeckTOP 5: Os melhores momentos da 4ª Temporada

A quarta temporada é muito foda, sem dúvida, a melhor. Finalmente os produtores aproveitaram bem a Sue Heck – a personagem cresceu e conquistou seu papel na série. É legal perceber que os atores parecem estar mais a vontade em relação a seus papeis e em relação aos companheiros de cena. Incrível como essa série é gostosa de assistir, delícia mesmo. Senti que essa quarta temporada está um pouco mais dramática, chorei em vários episódios também…(Aliás, a Season Finale é a mais linda de TODAS!)

# 1 – Frankie se surpreende com a volta de Rita Glossner. Um dia, caminhando, ela encara Rita acidentalmente. Rita cisma com Frankie, vai até a sua casa e afirma que ela roubou uma mangueira do seu quintal. Frankie nega, mas para não criar confusão, compra uma mangueira e deixa no quintal da vizinha. Pouco antes de sair, Rita a vê em sua propriedade e as duas começam a brigar pela mangueira. Rita solta a mangueira por querer e Frankie cai no chão (agora vem a melhor parte): QUEBRA O DENTE. HAHAH!

# 2 – Uma árvore cai no carro e o seguro não cobre. Frankie não pode deixar de usá-lo então faz uma gambiarra muuuuuuuuuuito engraçada (sério, eu morri de rir). Ela coloca um plástico substituindo o vidro da frente, mas a estrada fica completamente embaçada e ela tenta dar um jeito, mas acaba fazendo um buraco enorme no plástico.

TheMiddle9# 3 – Morri de dó da Sue nesse episódio! Os Heck levam o Brick para um concurso de tomates (aliás, o Brick ficou meses cuidando de um tomate, tratando-o como um bichinho de estimação). Nessa mesmo concurso, Axl batendo o carro e a família fica louca atrás do veículo. Sue faz de tudo para chamar atenção, mas ninguém da a mínima pra ela, então ela desaparece. O problema é que ninguém deu falta dela.

# 4 – Brick, Sue e Axl perguntam a Mike qual é o filho preferido dele e ele responde: Axl! Sue fica arrasada e acha que o pai prefere o irmão por culpa dela, então bola várias coisas para que ela e o pai façam juntas. O problema é que Mike não tá muito afim de passar o tempo todo com Sue. Por outro lado, Sue não larga o pé de Mike e o obriga a fazer diversas coisas, entre elas: escutar One Directon.

#5 – Sorrir é contagioso? Após muitas tentativas com pessoas diferentes, incluindo família, amigos, garçonete do restaurante e um bebê hostil. Eu, infelizmente, não consegui provar minha hipótese. Entretanto, como muitos cientistas antes de mim, eu me recuso a aceitar a derrota. Einsten demorou dez anos para provar E = mc², e se levar o mesmo tempo para provar que sorrir é contagioso, então eu estou disposta ao desafio, pois acredito que tem coisas que desafiam a lógica. O anatomista francês Duchenne escreveu que “a alegria é expressa no rosto com a contração de músculos, mas que só pode surgir com as emoções mais doces da alma”. E Duchenne tinha um sorriso com o nome dele. Pense nos sorrisos que, ao longo dos anos, inspiraram a felicidade do mundo inteiro… Monalisa, Justin Bieber… Alguns podem rir de mim, eu sei, assim como eles riram de John Gurdon. Falaram para ele que ele nunca seria um cientista. Ele acabou de ganhar o Prêmio Nobel. Acho que isso prova que ser desencorajado pelas pessoas que sabem mais que você, não é um obstáculo para ganhar o Prêmio Nobel. Então eu vou continuar com minha pesquisa. Um sorriso de cada vez, até que eu prove que sorrir é contagioso. Porque eu não quero viver em um mundo em que não seja”.

One thought on “The Middle

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s