sobre a 3ª temporada de Orange is the new Black

Terminei de assistir a terceira temporada de “Orange is the New Black” três dias depois da estréia. Isso é porque eu sou uma pessoa extremamente ansiosa e muito desocupada. Depois que terminou,  bateu aquele desespero… só de saber que falta um ano para os próximos capítulos. Engraçado, porque no ano passado fiz exatamente a mesma coisa, um sentimento louco, muito bem resumido na imagem a seguir:

Crédito: Dias de Cinefilia
Crédito: Dias de Cinefilia

Particularmente, achei a temporada fraca se comparada com as outras duas. Não sei, senti falta de um gancho. Mas, eu sou suspeita para falar porque sou fã de carteirinha e sou apaixonada por essa história. Reparei que as antagonistas ganharam mais espaço, tiveram suas histórias desenvolvidas, aliás, essa temporada parece ter uma pegada mais dramática do que as outras. Ou então… eu estou muito sensível, porque eu, definitivamente, chorei mais do que ri.

OITNBComecei a gostar menos da Piper e mais da Alex. Foi possível ver um lado mais doce e humano da Alex e agora é difícil não torcer por ela. A Red e a Crazy Eyes são as minhas favoritas, eu realmente adoro tudo o que elas fazem. Queria que o novo lance da Red tivesse se desenvolvido melhor, talvez que ela pelo menos tivesse trocado uns beijinhos. E a Crazy Eyes…  Ah! Muito amor ♡. Eu tô falando assim, meio por cima, porque não quero soltar spoiler…

Fico muito feliz com o sucesso dessa série, com o fato de trazer aos olhos do público um elenco incrível de atrizes, boas atrizes, que fogem do esteriótipo.  Por dar visibilidade a problemas femininos (maternidade, beleza, carreira…) com muito respeito e com senso de realidade, com verossimilhança.  Ah! E temos a Ruby Rose né moçada? Que é um deleite para os olhos e um figura mundialmente conhecida por colocar em discussão a fluidez de gênero.  Ainda sobre a Ruby, vale dar uma olhada nesse clipe: