El año del dilúvio

elanodel

“Sempre tive medo da eternidade porque a imagino pouco propensa a reencontros”

Fanny ArdantEu jamais assistiria El Año del Dilúvio se a Fanny Ardant não estivesse nele. Provavelmente por causa sinopse simplista, que nos engana ao dizer que a história trata de uma arrebatadora paixão entre uma freira e rico fazendeiro. Vou confessar que, até o momento, esse é o filme mais bonito que já vi da Fanny, desde o início dessa maratona não programada. Comentei outrora no Twitter que esse foi um filme que não me fez derramar uma lágrima sequer, mas que me deixou imensamente inquieta e dolorida, pela história amarga e obscura dessa freira.

A trama, que se passa o fim da década 50, é baseada em um livro escrito por Eduardo Mendonza, publicado em 1992. Fanny interpreta Sor Consuelo, a madre superiora de um hospital que sobrevive à caridade e que atende especialmente idosos e deficientes mentais. Em busca de financiamento para a criação de um asilo, Sor Consuelo procura Augusto Aixelá (Dário Grandinetti), uma fazendeiro influente e rico que simboliza esperança para seus pacientes.

O clima de medo e insegurança, reflexo da Guerra Civil Espanhola, ronda os personagens o tempo todo. Assaltos, saques e revoltas, fazem com que as freiras fiquem confinadas no convento com medo de serem roubadas ou violentadas. Inclusive, como curiosidade, Sor Consuelo revela que nessa época as freiras já não obrigadas a rapar o cabelo porque se elas precisassem fugir, o cabelo seria um bom disfarce para que não fossem reconhecidas. Nesse “pueblo” existe um saqueador em especial, que amedronta toda a população…

eldannyardant

Acontece que Sor Consuelo é uma mulher extremamente forte, inteligente e rígida. Que acredita que possui controle sobre sua vida e sobre suas vontades. Ela luta contra o seu desejo, contra o amor que sente em relação ao fazendeiro e chega a pedir, encarecidamente, que seja confinada em um convento onde não possa falar com ninguém, nem sair para ver a luz do sol. Seu destino lhe impõe a necessidade de fazer uma escolha, entregar-se ou não a Augusto. O problema é que ao se entregar, ela renega seus valores, seus votos e tudo ao que até então acreditava.


 – Existem duas curiosidades muito interessantes nesse filme, uma é que a Fanny estava falando espanhol. Mas, como não era um bom espanhol, ela foi dublada por Mercedes Sampietro. Este é o segundo filme de Jaime Chavarri, e dizem as más línguas que ele ficou profundamente apaixonado pela Fanny.


O copo de água

copodaaguaEm uma entrevista, Fanny chamou atenção para um detalhe que parece pequeno, mas que carrega consigo uma enorme construção metafórica. Sempre ao chegar à fazenda, Augusto lhe oferecia água. E mesmo com um calor exaustivo, ela não aceitava. As visitas foram aumentando, ao ponto em que ela passou a sentar-se na mesa com ele e a tomar limonada.  É um indício de que a freira foi se corrompendo aos poucos. “As coisas na vida dela eram feitas a gosto de Deus, aos poucos ela foi abrindo os olhos não só para o amor, como também para a carne e para a sensualidade. Lembro que no princípio ela se nega a aceitar o copo de água. Ao longo do tempo ela se pergunta, “por que não?” Por que não beber água se estou com sede?


Existe uma sequência maravilhosa do filme, que faz a espinha gelar. É o momento em que Consuelo entende as consequências de sua escolha e percebe que mesmo tendo vivenciado uma paixão enlouquecedora, mesmo tendo traído seus votos e seus valores, seu destino é viver como freira. É conviver com o peso do hábito religioso, é renegar o seu lado sexual, é aceitar a sua condição…

Aliás, a trilha sonora desse filme é uma peça chave.

el diluvio1 el diluvio2el diluvio6 el diluvio8 el diluvio3 el diluvio4 el diluvio5

One thought on “El año del dilúvio

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s