Change moi ma vie

Change Moi Ma vie

Um filme triste, retrato do quanto a vida pode ser injusta e infeliz para alguns. Nina é uma atriz fracassada, acostumada a ouvir nãos. É tão fracassada, que por não ter dinheiro nem para um cafezinho, tenta o suicídio. Ingere vários calmantes e é encontrada por um jovem atleta, desacordada em praça pública. A história não poderia ser mais irônica, já que ele, também é praticamente o reflexo do fracasso. Sami é um refugiado que vive de maneira irregular na França e sonha em se tornar corredor profissional.

change_moi_ma_vie_ft_05

O problema é que a vida lhe deu uma rasteira e sem conseguir trabalho, longe da família e dos amigos, começou a se prostituir. A complexidade do filme está justamente nos questionamentos morais que Sami precisa enfrentar no trabalho, primeiro porque para ganhar dinheiro e chamar atenção, se veste de mulher. Segundo, porque não é gay. Para sobreviver ele se permite viver situações degradantes (e digo, degradantes mesmo). Moralmente, dia após dia, ele morre um pouco. Tanto que Nina parece gostar realmente dele, mas não consegue lhe despertar interesse, de acordo com o próprio Sami, ele foi perdendo a graça de viver.

change_moi_ma_vie_2000_portrait_w858

Chamo atenção para o fato de que não é uma história homofóbica, pelo contrário. Líria Bégera, a diretora, levanta uma enorme discussão de gênero e critica diretamente a transfobia. Um verdadeiro dedo na ferida. A diretora me pareceu não querer fazer julgamentos, apenas retratar a marginalidade dos refugiados e a dificuldade de criar uma intertextualidade cultural. Fora, é claro, abordar a complexidade da vida e das relações humanas. 

Se é um filme que te interessa, e se você não gosta de spoiler, por favor, não continue a leitura. Eu diria que o filme é também sobre solidão, sobre o “sentir-se só” e sofrer por isso. Sami me parece um homem que chegou tão fundo no poço, que simplesmente não consegue mais sair. Nina também é muito solitária, mas para ela, apesar de tudo, ainda há uma esperança. Ao contrário do amigo/amante, ela não desistiu de viver. Gosto especialmente da cena final, em que os dois personagens conseguem encontrar equilíbrio através de um lindo trabalho metafórico

Screen Caps –

changemoi1
changemoi5 changemoi6 changemoi8changemoi4changemoi2

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s