Os experientes e a bissexualidade na velhice

folhasdeoutono_site-crop

Quando “Os experientes” estreou na Rede Globo, eu estava em processo de mudança para São Paulo. Estava louca para acompanhar os episódios, mas cheguei aqui e não tinha nem TV e nem internet em casa. Na verdade, não tinha nem cama. Observação boba, mas primeiro dia nesta casa, exatamente no dia em que esse episódio foi transmitido, dormimos no chão (e sentimos muito frio!). Enfim… tempos depois encontrei todos os capítulos disponíveis na internet, e assisti um por um, matando uma vontade antiga.

Não poderia eleger um episódio especial, porque são todos lindos, bem feitos e cheios de poesia. A série tem muitos diálogos impactantes, umas imagens incrivelmente belas, atores sensacionais e uma direção impecável. Não sei se estou exagerando, sou só amores por essa produção.

4353209_x240

Escolhi comentar sobre Folhas de Outono, o último episódio da série. Na narrativa, Francisca (interpretada por Selma Egrei) acaba de perder o marido e descobre que foi traída por ele durante anos. Um dia, se encontra com uma vizinha, a Maria Helena (Joana Fomm) que acaba de perder a mãe. As duas se aproximam e começam uma amizade que termina em namoro. O que me encanta é a naturalidade em que esse namoro é tratado e me chama a atenção a falta de estardalhaço (como aquele que foi feito em relação ao beijo da Fernanda Montenegro e da Nathália Timerg).  Não acho que mudamos de lá pra cá, o que me leva a pensar que a série não teve a audiência devida e que o horário pode ter influenciado nesta questão.

O negócio é que a bissexualidade e a sexualidade feminina na terceira idade são vistas com certo incomodo, já reparam? Como se duas senhoras não pudessem mais fazer sexo ou qualquer outra coisa do tipo. E  tem todo aquele lance de culpa, de vergonha, de moral. A mulher é ensinada, desde sempre, a não demonstrar seus desejos, a não sentir prazer… Sabe, há algum tempo vi uma reportagem que dizia que a sexualidade na velhice está sendo repensada e que não é tão incomum encontrar por aí mulheres (de 60, 70, 80, 90…) que foram casadas durante anos e que depois de viúvas, começaram a se relacionar com outras mulheres. 

Na série, Francisca e Helena são mulheres com experiências muito diferentes, mas com sentimentos muito parecidos. Francisca teve filhos, vivia um casamento rotineiro e infeliz. Maria Helena não se casou, não teve filhos e passou a vida cuidando da mãe. Porém, as duas são solitárias, idosas e cheias de vida. Elas também possuem desilusões com homens (o que não encaro, de forma alguma,como um pretexto para a bissexualidade).

Captura-de-tela-inteira-16042015-200359.bmp

A mensagem que este episódio me passa é: a importância da redescoberta do corpo, a interação com o outro, a motivação de estar vivo e seguir em frente. A coragem de ser e viver o que se deseja, a percepção de que já não há mais tempo para se perder.

7804334e0ecb0750181e85106b44e006

Imagem salva de: drawingbalmy.tumblr.com

Oi, passei para saber se estão todos bem! Eu sinto uma falta danada de escrever por aqui e se pudesse o faria todos os dias. Nem sei se teria assunto. A vida por aqui está uma correria, e é só no fim de semana que tenho tempo (isso quando tenho) para sentar e escrever um pouco. Vocês não imaginam o quanto isso me faz bem.