A vilã de Wentworth: Joan Ferguson

dc9ff26a442f6c4249bbfbef4753501a

Estou apaixonada pela Joan Ferguson (é minha personagem favorita do momento!). Descobri Wentworth pelo Filmow, numa lista sobre séries “alternativas” e não americanas que merecem atenção do público. Fiquei tão viciada que assisti a série sem pausa, foram madrugadas em claro com muita ansiedade para descobrir os novos acontecimentos – e olha, eu estava na reta final do TCC, portanto, escrevia duas páginas do trabalho e assistia um capítulo. Se eu pudesse definir, diria  que a Joan é uma psicopata sádica (e genial). São tantas as crueldades que ela comete em relação aos colegas do trabalho e às detentas, que fica difícil imaginar seus próximos passos.   

A “Freak” (como foi apelidada pelas detentas), antes de qualquer coisa, é uma jogadora inteligentíssima e não mede esforços para enganar os outros em troca de poder e benefícios. Em uma entrevista, Pamela Rabe (a atriz que interpreta o personagem) fez algumas observações: “Joan é extraordinariamente forte. altamente fundamentada, muito exigente, alguém que acredita que os fins justificam os meios – todos são dispensáveis. Eu acho que ela está totalmente convencida de que ela faz as coisas pelo motivo correto, ela absolutamente exige fidelidade. E também gosta de extrair os fatos das pessoas.” (e gosta mesmo, mas através de umas formas bem violentas).

13_10.gif

A personagem surge no primeiro capítulo da segunda temporada e sua aparição é um divisor de águas na cadeia. Diferente de todas as outras governadoras, ela tem uma postura militar em suas relações profissionais e comanda Wentworth com mãos de ferro. Ela é dominadora, fálica, misteriosa, decidida e com uma sexualidade indefinida. O que é muito interessante, pois o tema já foi assunto para algumas reportagens: o toque andrógeno é também uma estratégia de caracterização – (da mesma forma, a gravata, a ausência da maquiagem e dos brincos). Como se sabe, a série fala abertamente sobre homossexualidade feminina e Joan, em especial, é um personagem com um “passado sexual obscuro”. (Dentre os mistérios, não se sabe muito bem sobre a relação amorosa dela com uma detenta ou sobre os possíveis abusos que sofreu do pai).

tumblr_ntdzd1zHpk1slt09to9_400.gif

tumblr_nr4v1pZhHR1usnj8do1_400.gif

Wentworth é baseada na série Prisoner Cell Block H, transmitida na Austrália entre 1979 e 1986 (a série foi um sucesso, com mais de 600 episódios e pode ser encontrada no Youtube). A Joan Ferguson “original”, interpretada por Maggie Kirkpatrick, também teve um romance com uma das detentas e era igualmente sádica. As luvas são marcantes e existem desde a primeira versão, Joan sempre as coloca quando decide cometer alguma maldade, e por isso, se tornou um símbolo do poder da governadora.

Há muito tempo não encontrava uma vilã que me chamava tanto atenção. Ela é muito má (muito mesmo), e a gente só vai descobrindo isso aos poucos. Mas Joan é também engraçada: ela possui uma fixação absurda por limpeza e adora “jogar” com as palavras. Existe por aí na internet um time que torce para que ela tenha uma relação amorosa com Vera, sua “assistente” (e as teorias são muito divertidas!).

3o7TKCRuZBvMssPCy4.gif

Eu gosto mesmo é do choque, de ver os personagens em situações de deixar o coração palpitando. Ouvi várias entrevistas da Pamela Rabe e achei demais quando ela disse, no início da série, que faria o que fosse preciso. E ela fez mesmo… as cenas do chuveiro são impactantes! E a do dentista nem se fale. (já escrevi sobre essa cena aqui)

Portanto temos uma junção bem boa de: drama, suspense e comédia.E umas reviravoltas absurdamente interessantes! [SPOILER] Todas as reviravoltas em sua história são fundamentais para descobrir o quão rico é o personagem. Joan, que chegou a ser a principal diretora de Wentworth, passa a ser uma detenta comum. Ela, que tinha uma das maiores políticas contra as drogas, passa a ser a principal contrabandeadora, a “Top Dog” e trava uma batalha contra a Vera, aquela que achávamos que teria um relacionamento amoroso!

Resumindo: eu sei que essa publicação ficou meio sem sentido, acho que eu disse muito, sem dizer nada. A verdade é essa, eu tô apaixonada pela série e não consigo parar de assistir! Fica a dica para quem se interessar, é muito legal! (Prometo que, futuramente, vou fazer uma publicação mais interessante sobre o assunto).

Anúncios