Leave Bárbara Evans alone!

Não assisti “A Fazenda”, não gosto muito de sites de fofoca e há pouco não sabia da existência da Bárbara Evans. Nos últimos dias no entanto, o meu Facebook foi invadido por notícias sobre a tal tatuagem que a pobre/rica garota fez em homenagem a mãe. Em poucos dias começaram a pipocar amigos que comentavam sobre o trabalho mal feito no braço da celebridade e da imbecilidade que a menina havia cometido. Na mesma época o famoso #ProjetoBarbaraEvans surgiu nas redes e os internautas, que não perdoam, começaram a zuar a bela frase que ela tatuou: “Moae, minha bainha”.

Barbara Evans, tatuagemBrincadeiras a parte, eu… que nunca fui tão curiosa em toda a minha vida (sei!) passei a acompanhar o alvoroço da mídia sobre o “acontecimento”. Surpreendentemente, até a Folha de São Paulo deu uma nota sobre o caso, o que me deixou impressionada.

Muito curiosa que sou, fui até o Instagram da garota e o que vi foi um show de grosserias.  É interessante como a mídia consegue, de alguma forma, provocar a catarse. Os comentários, em sua maioria de deboche e ódio, colocavam Barbara em uma situação tão ruim, mas tão ruim que eu fiquei com pena da menina… sério! Eu não entendo muito bem qual é a necessidade que uma pessoa tem de ir no perfil de uma celebridade – seja ela qual for – pra colocar mensagens de ódio, mas o fato é que as pessoas realmente o fazem e as vezes perdem a linha.

No Instagram da Barbara diziam que ela é uma patricinha, doida, uma cheirada, que ela era vadia, que iria acabar internada e depressiva como a mãe (e por aí vai). Eu só consigo pensar no seguinte,  de duas uma: ou você perderá seu tempo ou lhe garantirá mais ibope. E acho que a segunda opção está mais correta. Depois de cometer a gafe, Barbara passou a aparecer apenas de blusa com manga comprida, cancelou os compromissos e já está enfrentando sessões para apagar a pequena obra de arte.

barbara evansMas… pensando bem. Pra quê tanta grosseria? Por que as pessoas se importam tanto com a tal tatuagem – que, aliás, foi paga com o dinheiro dela e está no braço dela?????? Quero dizer, porque não deixá-la em paz?

– Essa publicação ganhou o selo de: texto mais desnecessário do ano

Pinturas corporais 3D

Tenho um fascínio por pinturas corporais e um dia desses, me esbarrei pela internet com o trabalho realizado por Hikaru Cho.  Suas pinturas chamadas de “tatuagens temporárias 3D” são na verdade uma arte realista que explora detalhes do corpo humano e brinca com sugestões futuristas. Confira:

Tatuagem 3DTatuagem 3D Tatuagem 3D

Tatuagem 3D Tatuagem 3D Tatuagem 3D tatuagem 3d

Tradição curiosa

1988

Tudo começou com uma brincadeira que acabou se transformando em uma tradição.  Dois irmãos e duas irmãs da família Kinsella se encontram há vinte e cinco anos para serem fotografados na mesma posição. A primeira foto, feita em 1988 passou a se repetir em 1990 e assim: repetida em diversas atividades da família como casamento, aniversários (e até em funerais). Em 2011, fizeram uma tatuagem em homenagem as fotografias, confira:

1990

1991

1992

1993

1994

1995

1996

1997

1998

1999

2001

2002

2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011